FANDOM


The Lion King
The lion king poster
Ano 1994
Duração 89 minutos
Direção Roger Allers
Rob Minkoff
País Estados Unidos
Roteiro Linda Woolverton
Irene Mecchi
Jonathan Roberts
Elenco Matthew Broderick
James Earl Jones
Jeremy Irons
Nathan Lane
Moira Kelly
Rowan Atkinson
Whoopi Goldberg
Cheech Marin
Gênero Animação
Aventura
Drama
Épico
Idioma Inglês
Cronologia
Anterior
"Nenhum"
Próximo
"O Rei Leão II: O Reino de Simba"

O Rei Leão (The Lion King no original) é o 32º longa-metragem animado produzido pela Walt Disney Animation Studios e distribuído pela Walt Disney Pictures. Foi dirigido por Roger Allers e Rob Minkoff, com roteiro creditado a Linda Woolverton, Irene Mecchi e Jonathan Roberts, e música de Elton John com letras de Tim Rice. O filme é inspirado na peça teatral Hamlet, de Shakespeare: Narra a história do jovem leão Simba (Matthew Broderick), que sente-se culpado pelo assassinato do seu pai, o rei Mufasa (James Earl Jones), e foge do seu Reino, sem saber que a morte foi orquestrada pelo seu tio Scar (Jeremy Irons) para tomar o poder.</ref> .

O desenvolvimento de O Rei Leão começou em 1988 durante uma reunião entre Jeffrey Katzenberg, Roy E. Disney e Peter Schneider, promovendo Oliver & Company na Europa. Thomas Disch escreveu o tratamento do filme, e Woolverton desenvolveu os primeiros esboços, enquanto George Scribner foi escalado como diretor, e mais tarde Allers também foi chamado. A produção começou em 1991 em simultâneo com Pocahontas, que acabou atraindo a maioria dos principais animadores da Disney. Após a equipe viajar para o Parque Nacional Hell's Gate no Quênia, para pesquisar o cenário do filme e os animais, Scribner deixou a produção discordando da decisão de transformar o filme em um musical e foi substituído por Minkoff. Quando Don Hahn se juntou ao projeto, ele ficou insatisfeito com o roteiro e a história foi reescrita. Quase 20 minutos de sequências animadas foram produzidas no Disney-MGM Studios, na Flórida. A animação por computador também foi usada em várias cenas, principalmente na sequência da debanda dos gnus.

O Rei Leão foi lançado em 15 de junho de 1994 e foi aclamado pela crítica e público, que elogiou o filme pela sua música, enredo e animação, ganhando dentre os vários prêmios, o Oscar de Melhor Trilha Sonora Original (Hans Zimmer) e Melhor Canção Original ("Can You Feel the Love Tonight", de Elton John e Tim Rice), e o Globo de Ouro de Melhor Filme Comédia ou Musical.

O filme saiu de cartaz como a maior bilheteria de 1994 e foi a segunda maior bilheteria de todos os tempos, perdendo apenas para Jurassic Park. Após o re-lançamento em 3D em 2011, O Rei Leão chegou a 987 milhões de dólares em bilheterias ao redor do mundo, tornando-se a animação desenhada à mão de maior bilheteria da história. Atualmente é a trigésima maior bilheteria da história.[1] O sucesso levou a uma adaptação teatral na Broadway que está em cartaz desde 1997, duas sequências diretamente em vídeo, O Rei Leão 2 e O Rei Leão 3, e duas séries telesivas, Timão e Pumba e A Guarda do Leão.

Sinopse Editar

Nas Terras do Reino, na África, um leão comanda os animais como seu rei. O nascimento de Simba, filho do Rei Mufasa e da Rainha Sarabi, cria inveja e ressentimento no irmão mais novo de Mufasa, Scar, porque o seu sobrinho irá substituí-lo como herdeiro do trono. Depois de já ter crescido e se tornado um filhote, Mufasa leva Simba para um passeio pelas Terras do Reino, ensinando-lhe sobre as responsabilidades de ser um rei e o ciclo da vida. Mais tarde naquele dia, através das artimanhas de Scar, Simba e sua melhor amiga Nala vão explorar um cemitério de elefantes proibido, apesar dos protestos do mordomo de Mufasa, Zazu. No cemitério, as hienas Shenzi, Banzai e Ed atacam os filhotes, mas Mufasa, alertado por Zazu, aparece para resgatá-los e perdoa Simba por suas ações. Naquela noite, as hienas, aliadas à Scar, tramam com ele para matar Mufasa e Simba.[2]

No dia seguinte, Scar atrai Simba para um desfiladeiro e lhe diz para esperar lá enquanto ele vai buscar Mufasa. Por ordem de Scar, as hienas iniciam uma grande debandada de gnus no desfiladeiro. Mufasa resgata Simba, mas quando ele tenta subir as paredes do desfiladeiro, Scar joga-o de volta para a debandada, matando-o. Simba encontra o corpo de Mufasa e Scar o convence de que ele foi o responsável pela morte de seu pai e o aconselha a fugir do reino. Quando Simba vai embora, Scar ordena às hienas que o matem, mas Simba consegue escapar. Scar anuncia aos outros leões que tanto Mufasa e Simba foram mortos na debandada e se nomeia como o novo rei, permitindo que um bando de hienas vivam nas Terras do Reino.[2]

Depois de andar sem rumo por bastante tempo, Simba cai de exaustão em um deserto, chegando a quase morrer. Timão e Pumba, um suricate e um javali, encontram-no e cuidam dele até ele recuperar sua saúde. Simba cresce com eles na selva, vivendo uma vida despreocupada com seus amigos sob o lema "Hakuna Matata" ("sem preocupações"). Quando Simba se torna um jovem adulto, ele resgata Timão e Pumba de uma leoa faminta, que acaba por ser Nala. Ela e Simba se reconciliam e se apaixonam. Nala tenta convencer Simba a voltar para casa, dizendo-lhe que as Terras do Reino tornaram-se um terreno baldio sem comida e água. Sentindo-se culpado pela morte de seu pai, Simba se recusa e fica zangado com Nala, deixando-a desapontada e irritada. Quando Simba entra na selva, ele encontra Rafiki, um mandril, amigo e conselheiro de Mufasa. Rafiki diz à Simba que Mufasa está "vivo" e leva-o a uma lagoa. Lá, Simba é visitado pelo fantasma de Mufasa no céu, que diz que ele deve tomar o seu lugar de direito como o rei das Terras do Reino. Simba percebe que ele não pode fugir de seu passado e vai para casa. Nala, Timão e Pumba acompanham-no, e concordam em ajudá-lo na luta contra o tio.[2]

Nas Terras do Reino, Simba confronta Scar, que provoca Simba falando sobre sua "culpa" na morte de Mufasa. Mas quando Scar empurra Simba para a borda da Pedra do Rei, ele admite que foi ele quem matou Mufasa e não Simba. Enfurecido, Simba contra-ataca e força Scar a revelar a verdade para os outros leões. Timão, Pumba, Rafiki, Zazu e as leoas enfrentam as hienas enquanto Simba procura por Scar. Ao tentar escapar, Scar é encurralado por Simba no topo da Pedra do Rei. Scar implora por misericórdia, dizendo que ele é da família e colocando a culpa nas hienas. Simba diz não mais acreditar em Scar, mas poupa sua vida e ordena-o a deixar para sempre as Terras do Reino. Scar humildemente passa por ele, mas, em seguida, ataca o sobrinho. Depois de uma batalha feroz, Simba lança seu tio que cai da Pedra do Rei. Scar sobrevive a queda, mas é atacado e morto pelas hienas, que ouviram a sua conversa com Simba.[2]

Com a morte de Scar e a partida das hienas, Simba sobe para o topo da Pedra do Rei e assume o reino quando a chuva cai novamente. Algum tempo depois, as Terras do Reino são restauradas à sua antiga glória, e Simba olha feliz para seu reino com Nala, Timão e Pumba ao seu lado. Rafiki, então, apresenta o filhote recém-nascido de Simba e Nala para os habitantes das Terras do Reino e o "ciclo da vida" recomeça.[2]

Elenco Editar

Elenco
Personagem EUA Dublagem BRA Dublagem POR Dublagem
Mufasa James Earl Jones Paulo Flores António Marques
Simba (criança)Jonathan Taylor Thomas
Jason Weaver (canções)
Patrick de Oliveira
Bruno Miguel (canções)
Tiago Caetano
Fábio Pascoal (canções)
Simba (adulto) Matthew Broderick
Joseph Williams (canções)
Garcia Júnior Carlos Freixo
Telmo Miranda (canções)
Scar Jeremy Irons Jorgeh Ramos Rogério Samora
Timão/Timon Nathan Lane Pedro de Saint Germain André Maia
Pumba Ernie Sabella Mauro Ramos José Raposo
Nala (criança) Niketa Calame
Laura Williams (canções)
Roberta Madruga
Paula Tribuzy (canções)
Sara Feio
Ana Guida (canções)
Nala (adulta) Moira Kelly
Sally Dworsky (canções)
Carla Pompílio
Roberta Madruga (canções)
Cláudia Cadima
Ana Guida (canções)
Rafiki Robert Guillaume Pietro Mário Fernando Luís
Zazu Rowan Atkinson Pádua Moreira
Shenzi Whoopi Goldberg Carmem Sheila Cucha Carvalheiro
Ed Jim Cummings voz original retirada voz original retirada
Banzai Cheech Marin Hércules Fernando Adriano Luz
Sarabi Madge Sinclair Maria Helena Pader Custódia Gallego
Sarafina Zoe Leader Marly Ribeiro Manuela Santon

Créditos da dublagem brasileira:
Estúdio: Delart, RJ
Mídia: Cinema/VHS/DVD/Blu-ray/Televisão (Rede Globo)/TV Paga (Disney Channel)
Direção e tradução: Telmo de Avelar
Direção musical: Marcelo Coutinho

Recepção Editar

Críticas Editar

A ideia para O Rei Leão foi concebida no final de 1988, durante uma conversa entre Jeffrey Katzenberg, Roy E. Disney e Peter Schneider em um avião para a Europa, onde iam promover Oliver e sua Turma. Durante a conversa, o tema de uma história ambientada na África surgiu, e Katzenberg imediatamente aprovou a ideia.[3] A ideia foi então desenvolvida por Charlie Fink, vice-presidente de assuntos criativos da Walt Disney Animation Studios.[4] Katzenberg decidiu acrescentar elementos que envolvessem a chegada da maturidade e da morte, e de suas experiências pessoais, dizendo sobre o filme: "É um pouco sobre mim mesmo".[5] Em novembro do mesmo ano, Thomas Disch (autor de A Torradeira Valente) escreveu um roteiro intitulado King of the Kalahari (O Rei de Kalahari),[6] e, posteriormente, Linda Woolverton passou um ano escrevendo rascunhos do roteiro, que foi intitulado King of the Beasts (O Rei das Feras) e, em seguida, King of the Jungle (O Rei da Selva).[4] A versão original do filme era muito diferente da versão final. A trama foi centrada em uma batalha entre leões e macacos com Scar sendo o líder dos babuínos, Rafiki sendo uma chita, e Timão e Pumba sendo amigos de infância de Simba.[7] Simba também não deixa o reino, mas tornava-se um "personagem horrível desleixado, preguiçoso" devido a manipulações de Scar, então Simba seria deposto depois de atingir a maioridade. Em 1990, o produtor Thomas Schumacher, que tinha acabado de trabalhar em Bernado e Bianca 2, decidiu unir-se ao projeto, "porque os leões são legais".[4] Schumacher comparou o roteiro de King of the Jungle "a um especial animado do National Geographic".[8]

Don Hahn on the Director&#039;s panel at the Boulder International Film Festival

Don Hahn, produtor de O Rei Leão em 2012.

O diretor George Scribner, de Oliver e sua Turma, foi o primeiro diretor do filme,[9] sendo mais tarde acompanhado por Roger Allers, que era o principal revisor da história de A Bela e a Fera em outubro de 1991.[3] Allers trouxe com ele Brenda Chapman, que se tornaria a supervisora de roteiro.[4] Mais tarde, vários dos membros da equipe principal, incluindo Allers, Scribner, Hahn, Chapman, e o diretor de arte Chris Sanders, fizeram uma viagem para o Parque Nacional do Quênia a fim de estudar e apreciar o cenário para o filme.[10] Depois de seis meses de desenvolvimento da história, Scribner decidiu deixar o projeto, porque ele não concordou com Allers e os produtores sobre a decisão de transformar o filme em um musical, já que sua intenção era fazer um filme com caráter documental mais focado em aspectos da natureza.[3][11] Rob Minkoff substituiu Scribner,[10] e o produtor Don Hahn se juntou à produção, fazendo com que Schumacher torna-se um produtor executivo pois ele havia sido promovido a vice-presidente de desenvolvimento para longa-metragem animados.[8] Hahn achou que roteiro não tinha um foco e um tema claro, e então estabeleceu o tema principal: "deixando a infância e enfrentando as realidades do mundo". Allers, Minkoff, Chapman e Hahn então reescreveram a história através de duas semanas de reuniões com os diretores Kirk Wise e Gary Trousdale, que tinham acabado A Bela e a Fera.[10] O roteiro também teve seu título alterado de King of the Jungle para O Rei Leão, porque as Terras do Reino não eram uma selva, mas uma savana.

Ver também Editar

Referências Editar

  1. The Lion King em Box Office Mojo
  2. 2,0 2,1 2,2 2,3 2,4 http://tvefamosos.uol.com.br/noticias/redacao/2017/01/09/morre-aos-93-anos-o-ator-e-dublador-telmo-de-avelar-no-rio-de-janeiro.htm
  3. Erro de citação: Marca <ref> inválida; não foi fornecido texto para as refs chamadas :9
  4. 4,0 4,1 4,2 4,3 Neuwirth, Allan (2003); Makin' toons: inside the most popular animated TV shows and movies. Skyhorse Publishing Inc
  5. The Lion King: Diamond Edition: Walt Disney Home Entertainment.
  6. Predefinição:Cite web
  7. Allers, Roger; Hahn, Don, e Minkoff, Rob (1995). VHS / DVD comentário em áudio para O Rei Leão. Walt Disney Home Entertainment
  8. 8,0 8,1 Predefinição:Cite web
  9. Predefinição:Cite web
  10. 10,0 10,1 10,2 Finch, Christopher (1994). "Afterword". The art of The Lion King. Hyperion. pp. 165–193. ISBN 978-0-7868-6028-9.
  11. Norman, Floyd (2010). Pessoas de Walt -, Volume 9. Xlibris Corporation.. pp. 463-464.

Interferência de bloqueador de anúncios detectada!


A Wikia é um site grátis que ganha dinheiro com publicidade. Nós temos uma experiência modificada para leitores usando bloqueadores de anúncios

A Wikia não é acessível se você fez outras modificações. Remova o bloqueador de anúncios personalizado para que a página carregue como esperado.

Também no FANDOM

Wiki aleatória